terça-feira, 21 de outubro de 2014

II Fórum de Educação Popular

No II Fórum de Educação Popular da Unifesp/BS, compartilhamos momentos de muita energia e trocas inesquecíveis. 
Agradecemos a todas e todos que possibilitaram de alguma maneira esse dia e meio de diálogos, alegrias, risos, informação, camaradagem, desconstrução e construção de conhecimento. 
Educação Popular é criar e recriar meios de ação e transformação, para que um dia (esperamos que breve) não haja mais, nem oprimidos e nem opressores.
Até o próximo, pessoal.

    Gratidão!       



1º Dia (05.12) - II Fórum de Educação Popular da Unifesp/BS.
Diálogos entre a Educação Popular e o tripé Ensino, Pesquisa e Extensão.
Convidados: Profa. Florianita Campos (Eixo TS e PROEX) e Prof. Alexandre Barbosa (Eixo IS) da Unifesp.
Intervenção Musical - Robsoul (Rapper)



2º Dia (06/12)II Fórum de Educação Popular da Unifesp/BS: 
Pra que(m) serve o seu conhecimento?
Convidados Manhã: Representantes dos Cursinhos Populares Educafro, Camará, Cardume, Cursinho Autônomo Verde América/PG.
Convidados Tarde: Profa. Ana Brêtas (EPF/Unifesp-Campus São Paulo/Projeto Com-Unidade) e Pedro Nunes (Coletivo de Educação Popular José Porfírio -TO)
Intervenção Teatral - Henrique Castilho - HAYMANUTA
I
ntervenção Musical - Cravos da Madrugada


Confira nosso álbum desse maravilhoso encontro:






quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Vamos conversar? Pauta: Plebiscito Constituinte.

Essa semana mudamos o dia da reunião do PET, para integrar uma conversa sobre Plebiscito Constituinte.
   04/09/2014 - 17h - UNIFESP BAIXADA SANTISTA
O que é um Plebiscito Popular? Um Plebiscito é uma consulta na qual os cidadãos e cidadãs votam para aprovar ou não uma questão. De acordo com as leis brasileiras somente o Congresso Nacional pode convocar um Plebiscito. Apesar disso, desde o ano 2000, os Movimentos Sociais brasileiros começaram a organizar Plebiscitos Populares sobre temas diversos, em que qualquer pessoa, independente do sexo, da idade ou da religião, pode trabalhar para que ele seja realizado, organizando grupos em seus bairros, escolas, universidades, igrejas, sindicatos, aonde quer que seja, para dialogar com a população sobre um determinado tema e coletar votos. O Plebiscito Popular permite que milhões de brasileiros expressem a sua vontade política e pressionemos poderes públicos a seguir a vontade da maioria do povo.
O que é uma Constituinte? É a realização de uma assembleia de deputados eleitos pelo povo para modificar a economia e a política do País e definir as regras, instituições e o funcionamento das instituições de um Estado como o governo, o Congresso e o Judiciário, por exemplo. Suas decisões resultam em uma Constituição. A do Brasil é de 1988.
 

04/09/2014 - 17h - UNIFESP BAIXADA SANTISTA

Teremos uma urna na Universidade, desta maneira nos preparamos politicaMENTE.

Vamos lá!

terça-feira, 19 de agosto de 2014

II Fórum de Educação Popular da Baixada Santista: “Para que(m) serve seu conhecimento?”

Os integrantes do grupo “PET Educação Popular: Criando e Recriando a Realidade Social” sentiram-se novamente instigados a problematizar o debate acerca da Educação Popular, tendo em vista que o grupo está inserido em diversos trabalhos de extensão, articulando ações, intervenções e práticas, sistematizando experiências, avaliando o processo vivido, entre outros, o que convoca à necessidade de realizar um momento de difusão e compartilhamento de todo o conhecimento adquirido. Além disso, também tem interesse em divulgar o arcabouço teórico-metodológico da Educação Popular no contexto da comunidade acadêmica e da Baixada Santista, trazendo, para esse fim, outros grupos do Estado de São Paulo e da baixada santista envolvidos com o tema, partícipes de outras realidades e que possam contribuir e enriquecer o evento.

Estamos nos preparando....

Em breve novas informações para o conhecimento de todos!

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Circulo de Cultura

EM BREVE!!!

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Dá série 6º CBEU...


Nos dias 19, 20, 21 e 22 de maio, estivemos em Belém do Pará, participando do 6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária - CBEU, sediado pela Universidade Federal do Pará - UFPA e arredores.Iremos postar diversos materiais sobre nossa participação neste importante Congresso das extensões - a primeira postagem já está aqui.





Hoje é a vez de conhecermos o trabalho que foi apresentado pela Frente Educação Popular, Corpo e Cultura, representada pelas PETianas Valéria e Aline Rocco.





    A roda de conversa em que apresentaram este trabalho foi uma das atividades acadêmicas mais proveitosas que nosso grupo vivenciou por lá! Também participaram estudantes de Alagoas, que tem um projeto de extensão super premiado na área das exatas, o PIMI; uma extensão de Minas Gerais na área da odontologia e outras duas do Pará mesmo, uma sobre pedagogia hospitalar - Gente de Fibra! - e outra sobre Ludicidades Africanas e Afro-Brasileiras. 



        Essa turma toda apresentou e discutiu suas práticas, os desafios da extensão/extensionistas, a conjuntura da extensão, suas angústias, felicidades... Foi uma roda de conversa muito proveitosa! E de quebra aproveitamos para colocar no caldo das reflexões a experiência do Cursinho Popular Cardume. Para além disso, temos certeza que esse momento serviu-nos principalmente para nos inspirarmos na ousadia dos demais grupos e recarregarmos nossas baterias de ânimo e axé para darmos continuidade em nossos projetos!

                                
     (Brenda Barbosa)

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Tabloides do PET Educação Popular

Desde abril tem circulado nos espaços em que participamos um jornalzinho do PET Educação Popular. São três edições diferentes, organizadas pelo Fabrício, Raiane, Brenda e Valéria, com materiais que vão desde de textos autorais e vivencias do grupo até depoimentos de quem já se formou e passou pelo PET Educação Popular. O material saiu do forno e está circulando, no campus, nos congressos, nos encontros...
Mas também é possível conhecê-lo por aqui, pela internet! Estão todos disponíveis na plataforma issuu.com, basta clicar aqui para ter acesso as três edições :)

E para saber o que mais temos feito, além de acompanhar o blog e a página, veja também nossos documentos publicados no issuu.com bem aqui.

Tchau!

“Mande notícias do mundo de lá... CHEGUEI!"


Finalmente em casa. Não sei porque, mas a música de Maria Rita Encontros e Despedidas não sai da minha cabeça desde que saí de Belém, talvez tenha a ver com a musicalidade do norte e nordeste, talvez tenha a ver com o povo desse Brasil afora, mas o fato é que voltei.
Apresentar um trabalho num Congresso Brasileiro é gratificante, pois representa a conquista e o reconhecimento, mas infelizmente esses espaços, onde se pretende receber milhares de pessoas, nunca está de acordo para atender às necessidades dos participantes. Organização é tudo!
Tive várias surpresas, umas negativas e outras positivas. As negativas, começaram na recepção que tivemos ao chegar, além do cansaço, sem informações, sem alojamento, sem infra estrutura, paralisações, organização, nervosismo, distância. As positivas superaram tudo isso, porque faz mais sentido para mim, prestar atenção ao que se passa ao meu redor, a começar pelo calor.
Isso mesmo, calor. Calor do lugar e calor de um povo afetuoso! Isso me cativa! Calor é tudo.
Conversas e rumores, cheiros e odores, olhares e cores, vida! Calor e chuva, tudo junto. Após a chuva...encontros e amores.
Às margens do Rio Guamá, fica a UFPA. Mas também tem a Doca e a Feira de Ver-o-Peso.
Na UFPA, que é cercada de uma população menos privilegiada, nota-se que nem tudo é como parece. O campus tem muito verde, uma vastidão da natureza em meio às construções dos institutos, é uma cidade. Gente que entra e sai, estudantes que vem e vão. Mesmo lá dentro, existe a contradição. De um lado, o profissional e de outro, o básico. No profissional, os cursos tecnológicos voltados para o mercado capitalista. No básico, os cursos de humanas voltados para as pessoas. Mas o de medicina, nem fica lá. É em outro local, mais centralizado, mais elitizado.
Na Doca, tem bons restaurantes e tem barca que sai em passeios de hora em hora pelo rio caudaloso. Tem cervejaria que fabrica cerveja de vários tipos e sabores. Tem sorveteria com sabores únicos, nunca antes experimentados. Se não dançar o carimbó, pode tomar: Cupuaçu com castanha. É delicioso! Local de encontro dos casais enamorados, romance no ar. Ponto turístico.
Na Feira de Ver-o-Peso tem vida! Sim...lá tem vida. A vida como ela é. Cheia e dura. A vida que amanhece e anoitece num trabalho árduo, cheio de calores e cores, de cheiros e odores. Um local de pessoas calorosas e de comidas com nomes estranhos e sabores desconhecidos. Lá tem maniçoba, tacacá com tucupi, açaí na tigela com farinha d’água e filé de dourado, ahh... e tem carne, muita carne. Se não gostar, pode até magoar. Tem suco de cupuaçu, murici e abacaxi, mas o melhor mesmo é a tapioca, para comer é só chegar! Eram tantos os odores, que logo quis sair de lá!
Isso tudo sem contar sobre o artesanato local, a cerâmica Marajoara, as bijuterias e as essências. Lugar abençoado esse, onde o povo traz de seus ancestrais os saberes de produzir coisas tão ricas e belas.
Para mim, a importância de estar em lugares como este, vem como uma dádiva, um privilégio.
Acho que por esse motivo, a música continua na minha cabeça, mesmo agora no momento em que escrevo.
Da direita para esquerda: Ricardo, Brenda Mairã, Mahirú, Bete, Valéria, Diego.
Diz quem fica...digo que ficou. Ficou a saudade, em especial de dois lindos frutos daquela terra, Mairã e Mahirú. 
Melhor ainda é poder voltar...quando quero. Sim. Quero voltar um dia, para matar as saudades e explorar lugares que não pude conhecer, lugares como a Ilha de Marajó e as Praias de Salinas.
Tem gente que chega para ficar...tem gente que vai para nunca mais. Cantei este trecho, erroneamente. Acho que foi o cansaço e o nervosismo.
Agora, refletindo sobre tudo que vivenciei, tem um trecho que expressa melhor minha vontade nesse momento...Tem gente que vem e quer voltar...tem gente que vai e quer ficar...tem gente que veio só olhar...tem gente a sorrir e a chorar, e assim chegar e partir...
É isso, um dia quero voltar e quem sabe ficar, para nunca mais partir.
(Valéria de Oliveira Ribeirinho)

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Nós queremos é guerrear - pequenas percepções de uma petiana


Fazer parte do PET não é fácil: faltam recursos, atrasos de bolsas, muito comprometimento, falta de tempo, relatório, portfólio, reunião, etc. No entanto, ficamos MUITO felizes quando conseguimos realizar nossos planejamentos e fortalecer nosso grupo. Este mês estamos tendo muito disso: A Valéria e a Marina tiveram trabalhos aprovados no III JEM - e conseguiram apresentar; iniciamos um ciclo de formação; estamos estruturando melhor nosso tripé fortalecendo a pesquisa - conhecer a pesquisa da Amanda foi incrível para todxs nós eu acredito; SudestePET acontecendo; CBEU se aproximando; a Frente Corpo, Cultura e Educação Popular iniciando suas atividades de extensão depois de tantos estudos e planejamentos; SECASA avançando nas articulações; Cursinho Popular cheios de desafios; Cesinha, Thiago e Amanda aprovados no edital da Fiocruz/Ministério da Saúde... TAAAANTA coisa! Na verdade, acho que sempre temos MUITO disso, mas por vezes nem damos conta de apreciar, de sorrir, de comemorar, pois junto delas vem mais trabalho, desafios e comprometimento.

Este post é para isso: observarmos o quanto estamos encharcadxs, o quanto temos mergulhado nas atividades que acreditamos. Sem essa de colocar só a pontinha do pé para sentir a temperatura, se a água tá quente ou tá fria. Independente da temperatura, se é água doce ou salgada, de olho em nossa intencionalidade, estamos nos molhando por inteiro, aprendendo a nadar, formando um cardume, com pólvora, fuzil e bala pois queremos é guerrear. 
 É, realmente temos árduos e longos trabalhos por todos os lados e estamos felizes justamente por isso!
(Brenda)

1, 2, 3: formAÇÃO!

O que você fará na manhã de sábado??? Não pense em outra coisa temos um encontro marcado: formação!!!! E das mais gostosas!
O último encontro acontece esse sábado - 16/07 às 9h na UNIFESP - Baixada Santista.
 Até lá!

quinta-feira, 17 de abril de 2014

XIV SudestePET 2014


O XIV SudestePET é o maior evento de integração da comunidade petiana da Região Sudeste, ele busca fomentar discussões que resultem em ideias de inovação para serem adotadas pelos grupos PET. O evento contará com mesas redondas, grupos de discussão, grupos de trabalho, apresentação de trabalhos além dos tradicionais eventos festivos. 

O encontro acontece do dia 18 a 20 de abril e este ano será sediado na UFFRJ Seropédica, no Rio de Janeiro. Já a organização fica por conta dos grupos PET da UFRRJ, IFRJ e UERJ que tem o prazer de convidar os petianos, tutores, professores e pesquisadores e demais membros da comunidade. A participação da UNIFESP no encontro está fortalecida: todos os grupos enviaram representantes e aguardamos ansiosos pelo retorno do grupo para partilhar conosco os aprendizados do encontro.
Maiores informações: http://r1.ufrrj.br/petsi/sudestepetrj2014/

Vídeo dos integrantes do PET Educação Popular no evento:

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Pesquisando....

PETianxs Educação Popular, respondam nosso formulário sobre pesquisa. O resultado é de suma importância para estruturarmos melhor nossas atividades de pesquisa. Contamos com vocês!!!


segunda-feira, 17 de março de 2014

1, 2, 3 testando, som. 1, 2. 1, 2.

Tá todo mundo ouvindo ai?Estamos reunidos para aprender a utilizar o blog, essa postagem é de teste.
Não deixem de acessar nosso blog  educacao-popular.blogspot.com 
http://recadoface.com.br/imagens/imagens-imajens-307561.jpg

ctrl+shift+v= já cola sem formatação (no libre e no blog).


inserida por url




Imagem teste

Cursinho Popular Cardume inicia turma piloto

Equipe que atua como Educadora no Cursinho Popular
A semana do dia 10 de março há muito tempo era aguardada pela equipe do Cursinho Popular Cardume. Há um ano um grupo de docentes, discentes, pós-graduandos, técnicos e comunidade vinham planejando e se preparando para a realização deste projeto e o PET Educação Popular também forma este grupo.
A data que marca o início das atividades, demorou a chegar, mas, chegou quando ansiávamos por ela. Durante essa semana também acontecia a semana de recepção dos Calouros/as da UNIFESP Baixada Santista e a programação permitiu unir as atividades entre os estudantes da graduação e a primeira turma do Cursinho Popular. 
Segunda e terça ficou reservada para a integração dos 60 estudantes da turma piloto conheceram a Universidade, a proposta do Cursinho, realizaram reflexões sobre Universidade e Diversidade, ensino superior e suas expectativas.
Na quarta-feira os encontros em sala de aula começaram, o programa do dia era Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. A quinta-feira foi ocupada pela Matemática, conhecida vilã de muitos estudantes e que já marcou presença - Calma pessoal, paciência é a chave! 

Na sexta-feira, finalmente o encontro foi com a Redação e Educação Popular, onde a Frente Cursinho Popular Cardume atua. Apesar do nervosismo a atividade foi bacana, os estudantes são colaborativos e tem muito o que ensinar e também estão dispostos a conhecer. 
Depois de falarmos sobre nossas maiores dificuldades na redação, construímos duas poesias coletivas sobre o que é preciso para escrever melhor (em breve aqui no blog!) e partimos para produções de cartas que, além de situar-nos quanto a escrita de cada um, serviu-nos para percebemos as diferenças em linguagem formal e informal. Ao final, as turmas que havia sido divididas, tornaram a se juntar e recitaram cada qual sua poesia para que a outra apreciasse. Nosso primeiro encontro deu-nos subsídios quanto aos nossos desafios, contudo, o que mais nos deu-nos foi uma alegria no peito de vermos as ações de implementarem, os planos se concretizando, os sonhos se materializando. 



Temos em nós, todos os sonhos dos vestibulandos! E estamos adorando sonhar junto com eles!



Brenda - Frente Cursinho Popular Cardume